Paróquia Imaculada Conceição de Guararapes

- História -


A história da Paróquia se confunde com o nascimento de Guararapes, já que, desde 1928, ano em que a cidade foi fundada, Nossa Senhora Imaculada Conceição foi escolhida para ser a padroeira do povo de Deus desta porção da região Noroeste do estado de São Paulo.

Inicialmente, foi construída a Capela Santo Antônio, cuja obra teve início em 08/12/1929. Nesse dia, o Monsenhor Adauto Rocha aqui celebrou a primeira missa, lançou a pedra fundamental da Capela e o “Patrimônio Frutal” (nome do povoado, à época) comemorou o seu primeiro aniversário.

Por essa razão, a Capela Santo Antônio é o berço de Guararapes, pois foi ao redor dela que a cidade começou a crescer e a expandir-se.

A criação da paróquia se deu em 03/12/1934. Nessa data, D. Ático Euzébio da Rocha, então bispo de Cafelândia, nomeou o Padre Homero Alicata como vigário da primeira paróquia do Distrito de Guararapes.

Úteis e valiosas são as informações registradas pelo livro “Guararapes – entrando na sua história" (*), ao se reportar ao ano de 1934:

“Nesse mesmo ano, iniciou-se um intenso debate sobre qual seria o local ideal para a construção definitiva da futura Igreja Matriz dedicada à Imaculada Conceição, ou no centro da atual Praça N. Sra. Conceição ou onde está hoje. (...) Dadas as dificuldades de locomoção entre a Capela Santo Antônio, onde funcionava o expediente paroquial e o local onde estava sendo construída a matriz, em 07 de setembro de 1941, o Bispo D. Henrique César Fernandes Mourão escreveu ao Pe. Hilário Milan, vigário de Guararapes, autorizando-o a construir uma capela provisória no interior do mesmo espaço, onde era construída a Igreja Matriz. Em treze dias a capelinha ficou pronta e nela já eram celebradas as missas. (...) Em 1952... quando da visita de uma réplica da estátua de Nossa Senhora de Fátima à cidade, a construção da Igreja-Matriz estava praticamente acabada. (...) Somente em janeiro de 1956 deu-se por encerrada a obra e, em 08 de abril do ano em curso, aconteceu a inauguração solene da Igreja. Nesse mesmo dia, celebrou-se, também, a chegada em nossa cidade das Irmãs de D. Orione, cuja responsabilidade era ‘tomar conta da Santa Casa de Misericórdia” (fls. 83/84).


(*) Esse livro é de autoria coletiva dos professores e alunos da Escola Estadual “João Arruda Brasil” e foi publicado em 08/12/1994.
 

Leia mais:

 
 
  Site Map