A irresistível força da Vida

(Por: Pe. Amauri Ferreira)

Frequentemente, sou procurado por pessoas que não conseguem compreender os motivos pelos quais enfrentam sucessivas tribulações. Irmãos que demonstram sua frustração e, até mesmo, traços de revolta, apontando a contradição entre a proclamação do amor infinito de Deus e o sabor amargo de tantos sofrimentos impostos ao longo da vida. Alguns, mais fragilizados, abandonam as celebrações, deixam de participar da comunidade, desistem de viver à luz da Palavra, relativizam a força da oração e, não raramente, partem, como um barco à deriva, tentando encontrar respostas em doutrinas alheias aos sentimentos cristãos assimilados e vividos até então. São muitos aqueles que não conseguem suportar a perda de um ente querido; o anúncio de uma enfermidade; a convivência cotidiana desfeita; a frustração do amor não correspondido; a sensação de impotência diante das injustiças sofridas, da violência que assusta, dos preconceitos que ferem etc. Os impactos sofridos são bem mais fortes do que a capacidade de reação oferecida por tantos que sempre se acharam portadores de uma fé inabalável e imunes às circunstâncias inerentes à própria condição humana. Quando esses fatos acontecem com outros conseguem, de alguma forma, encontrar explicações, fazer conjecturas e até aceitá-los com naturalidade. Porém, quando são chamados a carregar a cruz que lhes pertence, sucumbem ao seu peso e, sem que nunca imaginassem, se surpreendem desesperados e colocam em dúvida a própria capacidade de carregá-la sobre os ombros. Como entender a experiência do calvário? Qual o sentido de tanto sofrimento? Como reconhecer a generosidade de Deus em ocasiões tão impregnadas de dor?

Sob o manto da razão, jamais encontraremos respostas convincentes para tantos questionamentos. Somente à luz da fé podemos perceber o itinerário que percorremos e a dinâmica de seu transcurso marcado pela alternância entre momentos notadamente felizes, promissores, e períodos extremamente difíceis, dolorosos. Isso não significa dizer que, em certos pedaços do caminho, o amor de Deus se faz presente, intervindo em nosso favor, e, em outros, somos por Ele condenados ao abandono, de maneira punitiva e impiedosa. Não!… Como nos lembra o salmista, reafirmando a presença amorosa de Deus, “ainda que passemos pelo vale da morte, nenhum mal devemos temer. Vosso bordão e vosso cajado nos dão segurança” (Sl 22). Tal afirmação pode nos levar a um discernimento que nos permita conhecer melhor a pedagogia de Deus revelada de maneira límpida por Jesus, seu Filho Amado: “eu sou a videira, e meu Pai é o agricultor. Todo ramo que não dá fruto em mim, o Pai corta. Os ramos que dão fruto, ele os poda para que deem mais fruto ainda” (Jo 15,1-2). Portanto, se estamos sob os cuidados do Pai – o grande Agricultor – e vivemos, como ramos, ligados ao tronco da videira, que é Jesus, no qual o Pai deposita toda a sua confiança, não devemos nos sentir cortados, excluídos da felicidade, mas ‘podados’ para o nosso próprio crescimento. Assim, devemos acolher, através de uma espiritualidade madura, situações que jamais imaginamos experimentar. Na verdade, devemos reconhecê-las como um aprendizado fundamental, para pertencermos menos a nós mesmos e sermos mais de Deus e de todos. Não foi isso que São Paulo intuiu, quando afirmou “eu vivo, mas já não sou eu que vivo, pois é Cristo que vive em mim?” (Gl 2,20). Assim sendo, podemos concluir que Deus só poda a árvore de que mais gosta, para que produza mais frutos; e, aos filhos que mais ama, mais amadurecidos e provados na fé os quer. Essa constatação está respaldada nos ensinamentos de Jesus que se dirige aos Apóstolos, dizendo: “a quem muito foi dado muito será pedido; a quem muito foi confiado, muito mais será exigido” (Lc 12,48).

Saibamos, portanto, perceber a extensão infinita do amor de Deus por nós, não apenas nos pedaços mais brandos do caminho. Procuremos sentir o pulsar do seu coração misericordioso também e, sobretudo, nos trechos da estrada onde, assustados e inseguros, tropeçamos no inevitável. Aprendamos a descobrir em cada estação da nossa “via-crucis” a candura de seu olhar compassivo e a força das mãos chagadas de seu Filho Amado sustentando, solidariamente, o pesado lenho que, sozinhos, não conseguiríamos suportar. Confiemos na sua sábia e soberana decisão sobre o que é melhor para nós: “Pai, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu” (Mt 6). É a partir dessa confiança irrestrita na generosidade do “Deus amor” (Jo 4,8) que devemos perceber, em meio a tantas e terríveis adversidades pelas quais passamos, uma quantidade significativa de sementes germinando, como: mãos que se estendem para nos amparar; ombros que se oferecem para nos confortar; a silenciosa presença daqueles que ao nosso lado procuram mostrar que não estamos sós; o sorriso de quem nos ajuda a redescobrir o rosto da esperança; a palavra amiga e repleta de gratuidade que nos reanima; dedos que levemente deslizam sob os nossos olhos para enxugar as lágrimas que brotam da nossa alma; o abraço afetuoso que refaz as nossas forças e nos faz acreditar que vale a pena continuar...

Todos esses gestos refletem sinais de Ressurreição e podem nos fazer contemplar a face redentora do sofrimento. Fortalecidos na fé e embevecidos pelo espírito pascal, entenderemos, assim, que nenhuma estação, por mais dolorosa que nos pareça, nem mesmo a extrema solidão da cruz, será suficientemente forte para deter-nos diante da irresistível força da vida. Seu triunfo já é uma realidade na ressurreição de Jesus. Essa vitória é partilhada por Ele conosco quando proclama: “eu sou a ressurreição e a vida. Aquele que crê em mim, ainda que esteja morto, viverá. E todo aquele que vive e crê em mim não morrerá jamais.” (Jo 11,25s).


Padre Amauri Ferreira.

Paróquia Imaculada Conceição de Guararapes
Diocese de Araçatuba/SP

Clique aqui e leia outros artigos

 

"Este texto trouxe à minha minha mente uma frase tão citada por todos nós quando saímos de uma situação difícil: "não sei como aguentei, de onde tirei forças..." pois bem, é exatamente nos momentos de tribulações que por mais que desistamos, a força do Espírito de Deus nos ajuda e nos mantém vivos, de forma silenciosa, mas tão silenciosa e consoladora, que muitas vezes nem percebemos...!! É a gratuidade da misericórdia Divina..!" - Dora Leila Henrique

"Maravilhoso artigo! Mais uma vez você, Pe. Amauri, iluminado, reflete sua luz para nós, traz o Amor e a Verdade para preencher nossas vidas, afastar os nossos 'fantasmas', os nossos medos, as nossas fraquesas e dúvidas, coisas de nossas vidas loucas. Ao ler o seu artigo, todas essas dificuldades me vem a mente. São problemas, conflitos internos e externos, leves e pesados, fáceis e díficeis de lidar, mas com cada palavra que leio ou ouço de ti, consigo compreendê-los melhor, e perceber que, se eu estiver junto de Deus, no mesmo barco, nenhuma tempestade irá fazer esse barco virar! E, um dia, até dormirei no barco, junto D'Ele, no meio da tempestade, em vez de ter medo e dúvidas como tenho hoje. Mais uma vez obrigado! Que Deus te abençoe ainda mais!" - César Baziqueto

"Amei! Quanto verdade neste artigo! Agradeço a Deus todos os dias pela presença valiosa do Pe Amauri entre nós" - Elza Longue

"Palavras sábias que fortalecem a nossa fé. É preciso segui-las. Parabéns!" - Afonsina

"Como é maravilhoso ter diante de nossos olhos palavras tão sábias como essas, que são capazes de nos fazer pessoas mais fortes, comprometidas com o Evangelho e viver verdadeiramente a nossa fé. Pe. Amauri obrigado por vc existir e conviver conosco, que Jesus continue te abençoando. Abraços" - Irani Gomes Augusto.

"Verdade temos que refletir muito...Adorei. Que Deus ilumine tds vcs" - Cássia Polachini

"Você só é baixinho... Que mensagem tocante; Valeu!.. Vc é 100000000000000000. Que a paz esteja conosco e que o Espírito Santo esteja presente em cada segundo de sua vida te abençoando e iluminando cada vez mais. Você é uma bênçaõ em minha vida... Obrigada pela mensagem, Valeu." - Claudia Sangali

 

Siga
Pe. Amauri Ferreira
nas redes sociais

 

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

 
 
  Site Map